Eu desarticulei a memória da noite a partir de um improviso, desenrolando sua língua para ser absorvido por todo por seu paladar. E lá onde eu fui semente e granada, fui também a palavra que se degusta na fala e depois se desmancha, se degusta e se desmancha na fala do curiango e da coruja, se degusta e se desmancha em sonho.

[ ver mensagens anteriores ]
Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Homem

 
Visitante número: